domingo, 24 de julho de 2016

Tzeitel Katan, parte 12 do santo tzadik, o Rebe Reb Elimelech de Lizhensk



O TZEITEL KATAN de Rebe Reb Elimelech de Lizhensk

Estas são as coisas que um homem deve fazer e viver:

Sempre imagine e descreva em sua mente, especialmente ao ler este pequeno panfleto, que alguém está de pé em cima de você e pedindo-lhe em alta voz para concretizar e cumprir esses costumes e práticas; não deixe que nenhum ponto fique despercebido, mesmo os mais pequenos pontos. Uma vez que você se acostumar em agir dessa forma, eventualmente, você vai começar a sentir um grande despertar em sua alma como chamas da paixão e do fogo de D’us inflamando e queimando dentro de você.
 — 
Publicado no Jornal Mitsvá com a permissão do autor.
Retirado do livro Mipeninei Noam Elimelech.

Editado por: R' Tal Moshe Zwecker.

AZAMRA DO BRASIL Torá Cabalá



Ensinamentos de Torá, Cabalá, estilo de vida saudável, responsabilidade ambiental e a busca da paz.


Participe da Comunidade AZAMRA DO BRASIL no Facebook.


Seja nosso amigo e leitor.


Shalom!

Webiste:

sábado, 23 de julho de 2016

"Há hereges que dizem que o mundo é um fato obrigatório." (Rabino Nachman de Breslov, Likutey Moharan I, 52)



Comentário: Como é que uma pessoa sem Emunah (fé) pode explicar a existência de algo que os seres humanos não fizeram criar? É simplesmente impossível! Esta a razão pela qual as pessoas que não têm Emunah dizem que o universo surgiu de repente e sem ninguém saber exatamente o porquê ou como.


Não só essas pessoas não podem explicar o surgimento do universo, mas elas têm as mesmas dificuldades de explicar sua existência renovada a cada dia e a cada momento. É ignorar essas dificuldades que eles inventaram o conceito de "forças da natureza." Natureza permitiria - por si só - de renovar constantemente o mundo em que vivemos?


No entanto, a realidade é diferente: é Hashem que criou o mundo ex nihilo, e é também o Mestre do Mundo, que renova a sua existência a cada segundo. Portanto, o universo não é um "fato obrigatório" que existe por sua vontade própria , mas sim, é a prova da existência e da vontade de D-us.


Por Rabino David Y. T.


quarta-feira, 6 de julho de 2016

Torá, Cabalá e Física Teórica



Por Rabino Aryel Nachman Ben Chaim.

Basicamente, na física, a teoria das cordas é um quadro teórico em que o ponto como partículas da física de partícula são substituídos por objetos unidimensionais chamados cordas. Isso descreve como essas seqüências se propagam através do espaço e interagem uns com os outros. Em escalas de distância maiores do que a escala da corda, uma corda se parece com uma partícula comum, com a sua massa, carga e outras propriedades determinadas pelo estado vibracional da cadeia. Na teoria das cordas, um dos muitos estados vibracionais da cadeia corresponde ao gráviton, uma partícula da mecânica quântica que transporta a força gravitacional. Assim, a teoria das cordas é uma teoria da gravidade quântica.

A declaração chave é "estado vibracional". As vibrações são associadas com o som; a vibração da corda que é puxado ou como o arco é desenhado em toda a cadeia, ou como a respiração passa sobre a cana. Se você pode mudar a vibração das cordas que formam um objeto, você pode alterar o objeto. Mais ou menos como na alquimia  que chumbo poderia virar em ouro.

Assim, em Bereshit 1 afirma-se 1. "No princípio, ao criar D’us os céus e a terra." Os Rabinos nos dizem que (parafraseado) por dez declarações D'us criou o Universo. Nota-se, dez DECLARAÇÕES. D’us disse: "Haja .....";  por "dizer", Ele cria através do uso de som, ou vibrações. D’us cria através da criação de cordas (de Ein Sof – falarei mais sobre isso mais tarde) e, em seguida, dá-lhes a sua forma e atributos, alterando o seu "estado vibracional" - dizendo "Haja luz! ....."; "Haja um firmamento ....."; "meio das águas ......"; e assim por diante.

Observe também, que são dez declarações; uma declaração para cada Sefirah do Sefirot. Assim, o universo é composto das Dez Sefirot.

Assim, D'us criou e o homem é apenas uma parte das declarações e ele não é diferente do que a água, a luz, os animais, etc? Não! D’us tinha um plano especial em mente para o homem, um co-criador usando o mesmo "estado vibracional" a criação adicional. Bereshit 2:19 "E o Eterno D’us formou da terra todo animal do campo e toda ave dos céus, e trouxe ao homem para ver como lhes chamaria; e tudo o que chamasse o homem à alma viva, esse seria o seu nome."... o que lhes chamaria; ...."... Até que o homem disse o nome da criatura vivente, isto não teve forma ou atributos. Ao nomear os seres vivos, o homem mudou seu "estado vibracional" e por isso deu a eles sua forma e atributos. Assim, um ari (leão) é uma ari porque Adão chamou-lhe um ari.

Agora podemos ver o quanto as palavras têm poder! Aqueles de vocês que são fãs de Duna tem ouvido isso antes. Devido a este poder, palavras proferidas por uma pessoa pode criar ou destruir (D’us nos livre). O Chofetz Chaim entendeu isso a uma profundidade que só pode começar a arranhar a superfície. É por isso que ele investiu esforço sobre a matéria de expressão e de lashon hará.

Então, vamos voltar ao assunto do artigo de Dr. Michio Kaku. O Dr. Michio Kaku fez a afirmação um tempo atrás "Quando nós finalmente entendermos a teoria das cordas, vamos encontrar é a voz de D’us cantando em onze espaço dimensional." Quando ouvi esta declaração, eu quase tenho caído no chão! Eu não acho que ainda o Dr. Kaku sabe o significado da declaração. Além disso, Dr. Kaku disse que a fórmula para a teoria das cordas seria muito sucinta e elegante; bem como de Einstein E = mc2. Claro, ele está correto no mundo da física teórica, mas isso vai muito mais longe do que o universo físico.

10+1=11

10 (Sefirot) + 1 (Ein Sof) = 11 (espaço dimensional).

Ou, em sua ordem correta:

1 Ein Sof + 10 Sefirot = 11 espaço dimensional  ou O Universo!

Ein Sof reside além das 10 Sefirot. Ein Sof é onde tudo se encontra em potencial. Quando é realizada pelo pronunciamento, obtém-lhe forma e atributos embora ...... estado vibracional. Se falado por HaShem ou pelo homem, que formam o que falamos. Portanto, o Chofetz Chaim foi verdadeiramente um grande tzaddik, trazendo para nossas mentes conscientes a realização das palavras da Torá e o poder da palavra falada. E, com ela, a admoestação para guardar nossas línguas.

Em suma: D’us trouxe cordas de Ein Sof, Usando o estado vibracional através da fala Ele deu o universo sua forma e atributos (incluindo suas leis). O homem continua o ato de criação pela criação adicional através da fala, tanto por faíscas de retificação ou (D’us nos livre) lançando as faíscas para klipot.

Então, aí está você, agora vemos a Torá, Cabalá e Física Teórica todos vêm juntos em acordo de como o universo surgiu.


Emunah (Fé)



"Na unidade, não há espaço para o mal." (Rabi Nachman de Breslov, Likutey Moharan I, 51) comentário por Rabino David Trauttman.

Comentário: A unidade que o Rabino Nachman menciona é quando percebemos que tudo o que acontece em nossas vidas é a vontade do Céu. A pessoa que tem Emunah (Fé) sabe perfeitamente bem que a sorte, chance, e o destino são apenas invenções do espírito humano.

Por outro lado, sabemos que D-us é bom e escolhe sempre para nós as melhores condições que nos permite ir mais perto d’Ele, se realmente queremos. Portanto, o mal não pertence a este mundo, mas sim é um sinal de nossa alienação do Divino.

Cada pessoa, dependendo do seu nível, vai notar a presença de D-us em alguns aspectos de sua vida, enquanto isso vai ser difícil vê-Lo em outros. Ao invés de estar certo que um evento particular é muito ruim, temos que perceber que ainda temos algum progresso para fazer em nossa Emunah.